#

SOU CONTRA


ASSUMIR OUTRO CARGO DURANTE O MANDATO

Um candidato é eleito para representar, portanto se ele quiser assumir outro cargo, deverá renunciar ao cargo para o qual foi eleito. Não podemos eleger um representante e sermos representados por outro.

PRIVILÉGIOS

Não podemos mais aceitar os privilégios hoje existentes para todos os cargos políticos. Precisamos baixar os altíssimos salários e acabar com auxílio moradia, combustível, carro, celulares funcionais, passagens aéreas, auxilio paletó e outros inúmeros benefícios que a maioria da população não têm. Chega do descaso com a população e do desperdício de dinheiro público.

REELEIÇÃO

Não é mais admissível que o eleito faça carreira política, precisamos mudar nossos políticos a cada eleição, permitindo apenas que se elejam para outro cargo. Com a permanência no cargo, o político tem mais condições de usar a máquina para se reeleger, tornando a disputa desigual e fazendo com que a renovação se torne quase impossível. A profissão de político já mostrou que os interesses da população ficam esquecidos e somente são votados os interesses pessoais de cada político. Qualquer pessoa poderá se candidatar para o cargo que desejar, independente da ordem, mas poderá ser eleito apenas uma vez para cada cargo. Ex: Vereador, prefeito, Deputado Estatual ou Distrital, Deputado Federal, Senador, Governador e Presidente da República.

CARGOS PÚBLICOS COMISSIONADOS OU DE CONFIANÇA NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 
Temos o  direito a uma administração pública com transparência, lisura e competência. 
Não importa a denominação partidária que está no poder, não importa a pessoa, não importa a gestão porque em todas as situações haverá possibilidade de favorecimentos em troca de cargos, haverá favorecimentos em troca de negociações inescrupulosas e tantos outros atos de improbidade administrativa e irregularidades. 
Há uma grande diferença de comportamento e comprometimento de funcionários que prestam serviços públicos e que são funcionários de carreira e dos que “estão” temporariamente como funcionários públicos. Estes últimos trabalham para beneficiar e proteger àqueles que os colocou no cargo. Todos os cargos da administração pública devem ser preenchidos por funcionários de carreira, devidamente concursados e preparados para galgar uma carreira no serviço público e dar continuidade à gestão.

AUXILIO MORADIA

Não é admissível que o eleito tenha auxílio moradia e com valores muito acima do salário que a maioria dos brasileiros. Não a esse abuso onde ele ainda existe!

RESSARCIMENTO DE DESPESAS MÉDICAS

Hoje um eleito pode fazer tratamento em qualquer modalidade médica e é reembolsado mediante apresentação da nota fiscal. A maioria dos brasileiros não conta nem com o atendimento básico do posto de saúde, portanto o atendimento ao eleito deverá ser de acordo com o plano de saúde da categoria ou como todos, pelo SUS.

FORO PRIVILEGIADO

O político eleito não pode ser considerado uma autoridade com privilégios, mas um funcionário a serviço da população, portanto deverá responder por seus crimes como um cidadão comum, sem favorecimento por justiça especial.

GASTOS COM PUBLICIDADE

Não podemos admitir que o executivo e o legislativo utilizem dinheiro público para fazer publicidade de seus feitos como se fosse um produto à venda. O governo e os parlamentares não precisam e não podem continuar gastando milhões para divulgar o que estão fazendo, precisam apenas fazer, pois foi para isso que foram eleitos. Publicidade apenas para campanhas educativas e de interesse da população.

NÃO AO AUMENTO DE PARLAMENTARES

Devemos reduzir ou congelar o número de cargos em todas as esferas, municipal, estadual e federal.

AUMENTO DE SALARIOS

Hoje os eleitos têm altos salários e pouco trabalho, devemos reduzir ou congelar todos os salários em todas as esferas politicas pelos próximos 10 anos. Aumento de salário sempre e tão somente vinculado e proporcional ao aumento do salário mínimo vigente no país.

 IMPUNIDADE EM FALTAS

Todos são iguais perante a lei, portanto a punição deverá ser nos moldes da CLT para o parlamentar que faltar às sessões injustificadamente.

 GANHOS EXTRAS

Extinção de Jetons por sessão extra, se ainda ocorrerem nos legislativos do País, pois o parlamentar trabalha tão pouco que não precisa de sessões extras, tudo deverá ser resolvido no expediente normal. Felizmente, na Câmara Legislativa não mais existe.

NÃO À CANDIDATURA DE QUEM ESTÁ SENDO PROCESSADO

Hoje a maioria que está sendo processada busca um cargo eletivo para ganhar a imunidade parlamentar, que deveria ser chamada de impunidade, portanto não poderá estar apto a se candidatar em qualquer cargo político quem estiver sendo processado por qualquer ato de improbidade, corrupção e afins. Deve estar elegível apenas e tão somente após o devido processo legal e com sentença da "absolvição".

APOSENTADORIAS ESPECIAIS PARA POLÍTICOS

Aposentadoria tem que ser igual para todos e não um privilégio de alguns.

OBRIGATORIEDADE DE VOTAR

Não estamos na idade da pedra, somos livres e também devemos ser livres para ter o direito de ir ou não às urnas votar, isso deve ser feito por amor, bairrismo e patriotismo, um ato voluntário.Contudo,  é importante que mais e mais brasileiros tenham o interesse de participar da política, para extirpar os maus elementos que estão nela.

FUNDO PARTIDÁRIO

Serve apenas para enriquecer os “donos” de partidos. Muito dinheiro público para poucos. Vamos desconstruir a ideia de que é do interesse do cidadão brasileiro a existência de muitos partidos políticos e a manutenção desses partidos com dinheiro público. Todo partido almeja chegar ao poder para impor seu programa de governo. Ou seja, basta também dessa ideia romantizada e utópica de que partidos políticos existem para fazer caridade, ajudar os necessitados, praticar altruísmo e ações sociais. Para realizar essas atividades importantíssimas existem associações, fundações e organizações religiosas. Se é do interesse de um partido chegar ao poder, que ele dê aos cidadãos bons motivos para investir financeiramente nele e em seus candidatos, ou então que oferte boas razões para que os indivíduos decidam exercer funções voluntariamente em prol dele.

Se a “José” interessa que partido ‘x’ chegue ao poder, que ele e os demais membros contribuam financeiramente com ele. Se “João” quer que o ‘y’ ganhe, então é simples: é só fazer doações a ele. É uma notória falácia dizer que é do interesse do brasileiro médio a manutenção dos quase 40 partidos políticos registrados no Brasil e destinatários do dinheiro recolhido no fundo partidário.

FUNDO ELEITORAL

Não deve ser confundido com o fundo partidário e seu nome oficial é Fundo Especial de Financiamento de Campanha. Não temos dinheiro para saúde, educação, segurança ou para qualquer benefício em prol da população, portanto temos que acabar com qualquer fundo que venha beneficiar esse ou aquele candidato, até porque a distribuição favorece apenas alguns que estão intimamente ligados aos partidos políticos e nunca chega aos menos favorecidos, tornando as eleições desiguais para a maioria.

CANDIDATURA APENAS POR PARTIDO POLÍTICO

Todo cidadão deve ter o direito de se candidatar,independentemente de estar ou não filiado a partido político, pois o eleitor deve votar no cidadão e não no partido.

(*) Gilberto Camargos é jornalista e Candidato a deputado distrital pelo PROS.